A Verdadeira Vida em Deus

Caderno de Anotação 27

A Verdadeira Vida em Deus

262

Eu vos envolverei com Meus Braços com muito amor; ah! filhos bem-amados, Eu vos prepa- ro um Novo Céu e uma Nova Terra para viverdes, uma Terra repleta de frutos vin- dos da Árvore da Vida; Seus frutos terão os nomes de Paz, Santidade e Amor, uma vez que Sua Raiz 4 é Amor; então, estareis diante de Mim, Vosso Deus, cheios de Meu Santo Espírito como no primeiro Pentecostes; Meu Espírito vos encherá com Amor... Eu embelezarei Meu Jardim; irrigarei Meus canteiros de flor; Meu Orva- lho de Retidão descerá sobre vós, bem- -amados, e Minha Luz fortificará vossos galhos, fazendo brilhar a disciplina; coragem, filha; coragem, bem-ama- dos; sei que é difícil viver no deserto, mas o Fim desses Tempos, 5 em breve, estará convosco; logo descerei para vos purifi- car; Eu, o Senhor, solenemente vos digo, que vos pegarei de surpresa, induzindo Minha Luz sobre vós; Meus Céus sacu- dirão a Terra, todos os que Me amam Me glorificarão dobrando seus joelhos, e muitos se lembrarão de Mim e voltarão para Mim; isso será conhecido como a Grande Conversão da Igreja; mas para Minha grande tristeza, have- rá aquelas almas teimosas que blasfema- rão contra Meu Santo Nome e que lutarão ao lado de Meu adversário; essas almas Me rejeitarão ainda mais; quando isso acontecer, Satanás as liquidará, arrastan- do-as para o Fogo Eterno; Vassula, sente Meu Sagrado Coração... sofro além de quaisquer palavras huma- nas para dizer-vos isso, pois sou um Deus de Amor, um Deus de Misericórdia, mas também um Deus de Justiça, e tenho de ser vosso Juiz quando Minha criação se rebela contra Mim; Minha Alma está feri- 4   O Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi. Ap 5, 5. Essa compreensão foi-me dada mais tarde, em 1º de setembro de 1988. 5   Tempos de Apostasia.

16 de agosto de 1988

Senhor?

Eu sou; jamais duvides, sou Eu, Jesus Cris- to; chamei-te de Minha Cruz, chamei-te em Minha Agonia para mostrar-te como Eu, Que sou a Cabeça de Minha Igreja, encontro-Me hoje; a imagem de Meu Cor- po morto nos Braços de Minha Mãe 1 é um modo simbólico de mostrar-te como toda vossa apostasia traiu Minha Igreja; percebes, filha, levei-te a ver a imagem correta da Igreja atual; viste em Minha Mãe Sua tristeza e, em Seus Braços, Meu Corpo Morto, traído, ferido, açoitado; é exatamente assim que se encontra Minha Igreja de hoje; Minha Mãe chora Lágri- mas de Sangue sobre Ela, como chorou sobre Meu Corpo no Gólgota; mas, em pouco tempo, Ela 2 será renovada, transfi- gurada e ressuscitada como Eu, o Senhor, Ressuscitei; Ela não mais será encontrada nesse estado deplorável; Meus inimigos destruíram Meu Templo, mas com Meu Poder que desce do alto e Minha Graça, Eu, o Senhor, reconstruirei Meu Templo em apenas três dias; Eu te prometi que Minha Igreja revi- verá, será renovada e transfigurada como Eu fui Transfigurado; reconstruirei Meu Templo e a Integridade será o cinto dos seus lombos, e a Fidelidade, o cinto dos seus rins; 3 e a Pureza será Sua Tocha, para conduzir todos os que desonraram Meu Nome com Sua Luz e purificá-los; pois, Eu, o Senhor dos Senhores, o Cor- deiro, viverei Nela e Ela será recebida pelos Seus, como Eu fui recebido pelos Meus depois de Minha Ressurreição; então, como a mãe que conforta seu filho, também Eu vos confortarei ainda mais; 1  A imagem de Santa Maria e de Jesus depois da Crucifixão em San Sylvestro, em Roma. 2   A Igreja. 3   Is 11, 5.

Made with